Patrocinadores oficiais

Sal, um vilão para o coração

Atualmente, os Portugueses consomem diariamente mais do dobro da quantidade de sal recomendada pela Organização Mundial de Saúde. A quantidade recomendada é de 5g/dia, o que corresponde a 2g de sódio, que se traduz numa colher de chá rasa ou uma de café.

O consumo excessivo de sal é uma das principais causas da hipertensão arterial e, consequentemente, das doenças cardiovasculares, podendo mesmo levar à morte. Um facto alarmante é a existência de cerca de dois milhões de hipertensos em Portugal. Um estudo mostra que, só em 2010, a ingestão de sal esteve associada à morte de mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo devido a doenças cardiovasculares.

O elevado consumo deste mineral acarreta, para além do aumento da tensão arterial e das doenças cardiovasculares, outras consequências nocivas para a saúde, nomeadamente, aumento da prevalência de cancro, principalmente do estômago, aumento da sobrecarga renal, pois exige mais trabalho dos rins, e aumento da retenção de líquidos.

O povo português é um grande adepto da comida salgada devido talvez ao facto de ser um povo que vive à beira-mar e que aprendeu que o sal ajuda a conservar. Contudo, devo alertar para o uso das alternativas ao sal e para os cuidados a ter na compra dos produtos alimentares.

O sal encontra-se em alimentos como enchidos e fumados, aperitivos salgados (croquetes ou rissóis), produtos processados, refeições pré-cozinhadas (pizzas, lasanha ou sopas), molhos, algumas bolachas e bolos, devendo, por isso, ser evitados. O sal de cozinha é constituído por cloro e sódio e, por isso, é também designado por cloreto de sódio.

A tabela seguinte mostra o teor de sal de alguns alimentos.

Alimentos

Quantidade de Sal (g)

Salsicha tipo Frankfurt (6 salsichas – 120g)

1,9g

Azeitonas (2 colheres sopa – 40g)

0,8g

Presunto (1 fatia de 20g)

0,5g

Paio (1 fatia de 20 g)

0,4g

Bolacha de aveia (2 bolachas - 25g)

0,4g

Mortadela (1 fatia de 20g)

0,3g

Flocos de trigo integral tipo “All-Bran Flakes” (30g)

0,3g

Queijo flamengo (1 fatia de 20g)

0,2g

Fonte: Tabela da Composição de Alimentos Instituto Ricardo Jorge

 

Pode prevenir o consumo excessivo de sal, prestando atenção à quantidade de sódio indicada no rótulo, no momento da compra de um alimento, pois este pode estar “escondido” sob a forma de glutamato monossódico e bicarbonato de sódio. Para além disso, deve comprar apenas produtos que possuam teor de sódio inferior a 0,6g por 100g de produto. Outra dica é diminuir progressivamente a quantidade de sal adicionado na confeção dos alimentos através da utilização de ervas aromáticas (orégãos, cominhos, cebolinho, coentros, manjericão, salsa, tomilho) e optando por temperos com alho, sumo de limão e um pouco de vinho.

As medidas para prevenir o consumo excessivo de sal deveriam ir muito além das nossas cozinhas, nomeadamente nos estabelecimentos de restauração e nas indústrias de bens alimentares.  Contudo, apenas conseguimos controlar as nossas escolhas e ações e, portanto cabe a cada um de nós comprar produtos alimentares com menor teor de sal e utilizar pouca quantidade, quer no tempero, quer na confeção de refeições.

Cuide da sua saúde e em especial do coração!

 

Sara Barbosa, 4ºano da licenciatura em Dietética e Nutrição

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Disponibilidade: Disponivel



Voltar...

Últimas notícias

Termos de utilização    |    Política de privacidade    |    Política de cookies    |    Resolução Alternativa de Litígios    |    Livro de Reclamações On-line